Lei de Murphy o cacete, é Lei do Macaco

21/09/2008

“Abençoado seja aquele que nada espera, pois não se desapontará jamais” – Lei de Franklin

A vida é cheio de fatos incríveis, inevitáveis, felizes, tristes, bons ou ruins. É algo natural que devemos aceitar e encarar com força e responsabilidade. Mas e quando os momentos ruins se tornam rotineiros? Esse fatalismo está me tirando do sério. Meu apelido poderia ser Murphy ao invés de Macaco. Aliás, alguém sabe onde surgiu o famoso conceito universal da Lei de Murphy? Eu conto a vocês. O tal do Murphy realmente existiu. Edward A. Murphy Jr era capitão e engenheiro da Força Aérea Americana. Em meados de 1949, Edward se ofereceu para ser cobaia em um teste onde o objetivo era saber o quanto da Força da Gravidade um ser humano agüentaria. Difícil? Eu explico. Na base da Força Aérea, eles construíram uma máquina que simularia uma colisão aérea. A máquina, batizada de Trenó-Foguete, conseguiu chegar a quase 320 Km/H e era parada bruscamente. Mas para colher os resultados, era necessária uma pessoa de verdade, foi quando Edward foi para os testes, antes feito com outro oficial, John Paul Stapp, que teve diversas fraturas, contusões e vasos sanguíneos do globo ocular arrebentados. Edward levou consigo um conjunto de sensores que poderiam ser presos às cintas. Esses sensores eram capazes de medir a quantidade exata de força G (Gravitacional) aplicada quando o trenó-foguete fazia a parada súbita, tornando os dados mais confiáveis. Acontece que quem colocou os sensores em Edward fez de maneira errada, fazendo com que o teste fosse invalidado. Ao saber do erro, Edward A. Murphy Jr. resmungou algo do tipo: “Se há duas formas de fazer alguma coisa e uma delas vai resultar em um desastre, é assim que ele vai fazer”.

Jonh Paul Stapp, o primeiro oficial a participar dos testes, disse algum tempo depois que a frase de Murphy tinha ajudado em diversos testes da Força Aérea, batizando-a de a Lei de Murphy, com a famosa frase: “Tudo que pode dar errado dá errado". Depois disso, a frase pipocou em diversos artigos de revistas científicas, levando Edward Murphy Jr. à fama internacional.

Eu sou meio paranóico com algumas coisas. Não sou um adepto totalmente da Lei de Murphy, mas as coisas acontecem de uma maneira inusitada comigo. Muitas vezes não é paranóia, é fato, pois elas realmente acontecem só comigo. Quando eu estava no segundo grau técnico, cursando Processamento de Dados, conheci um amigo onde tenho uma amizade até hoje. Todas as vezes que o meu computador dava algum problema, eu não pensava duas vezes em ligar para ele. O engraçado era quando ele afirmava a mim que o que estava acontecendo no meu computador era impossível E NÃO TINHA A POSSIBILIDADE de acontecer... Mas estava, porra! Hoje tenho certeza que ele é completamente convencido que a minha vida é bastante peculiar, onde acontecem coisas inexplicáveis, principalmente no campo da informática. A partir de hoje vou compartilhar com vocês tudo de bizarro e inexplicável que acontece comigo no dia a dia. No próximo post, eu inicio a série “Tem coisas que o dinheiro não compra, porque elas só acontecem com o Macaco”.

Bjos e um aperto de mouse!

Nenhum comentário :