A importância da pontuação na nossa língua.

03/03/2012



Um homem rico estava muito mal, agonizando. Pediu papel e caneta. Escreveu assim:
Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres.
Atente que não fez a pontuação. E afinal, a quem deixava a fortuna?
Eram quatro concorrentes.
O sobrinho fez a seguinte pontuação:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.
A irmã chegou depois. Pontuou assim:
Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.
Por sua vez, o padeiro pediu cópia do original. E pontuou assim:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.
Foi aí que chegaram os pobres da  cidade. Um deles, mais dotado, fez esta pontuação:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres.
Moral da história:
A vida pode ser vivida de várias maneiras, nós é que fazemos a pontuação. Pontue a sua e seja feliz.

Fonte http://marcelodantas.blog.terra.com.br/
 

Um comentário :

Daniel disse...

Está genial. ahahah